Home

Remédios Suplementos e Vitaminas Vitamed  Vacinas  Para Alérgicos


Faça sua busca aqui !
Clinaire






ABCdoPRECO

PRODUTOS

Bula do Persantin 75 Mg Caixa com 40 drageas


Dica de compra
PERSANTIN Drágeas
A+ A- Alterar tamanho da letra - Composição
cada drágea de 75 mg contém: dipiridamol 75 mg.Excipientes: fosfato ácido de cálcio anidro, amido de milho, dióxido de silício coloidal, estearato de magnésio, sacarose, talco, goma arábica em pó, dióxido de titânio, polietilenoglicol 6000, cera branca, cera de carnaúba, corante amarelo laranja S (85%), água purificada, etanol a 96% desnaturalizado com metiletilcetona. Cada drágea de 100 mg contém: dipiridamol 100 mg. Excipientes: fosfato ácido de cálcio anidro, amido de milho, dióxido de silício coloidal, estearato de magnésio, sacarose, talco, goma arábica em pó, dióxido de titânio, polietilenoglicol 6000, cera branca, cera de carnaúba, água purificada, etanol a 96% desnaturalizado com metiletilcetona.

- Posologia e Administração
uso oral: na insuficiência coronariana, 150 a 225 mg ao dia, em doses fracionadas. O tratamento deve ser gradual, aumentando-se a dose conforme a necessidade e a tolerabilidade. Nas condições em que for desejável uma inibição da agregação plaquetária, recomendam-se doses entre 300 e 450 mg/dia, em administração fracionada. Em casos graves, a dose diária total poderá ser aumentada até 600 mg. - Superdosagem: sintomas: sensação de calor, falta de ar, sudorese, taquicardia, inquietação, astenia e vertigem, hipotensão e sintomatologia anginosa. Tratamento: medidas gerais de suporte. Como os derivados da xantina agem contra a atividade vasodilatadora de Persantin, pode ser útil à administração endovenosa lenta de aminofilina (50-100 mg durante 30-60 segundos). Caso não se consiga com 250 mg de aminofilina um alívio da sintomatologia anginosa, pode-se administrar nitroglicerina sublingual.

- Precauções
Persantin é um vasodilatador muito ativo e deve ser utilizado com prudência em pacientes com arteriopatia coronária grave (por exemplo, angina instável ou infarto do miocárdio recente), em casos de estenose aórtica subvalvular ou de instabilidade hemodinâmica (por exemplo, insuficiência cardíaca descompensada). Em pacientes com miastenia grave, pode ser necessário um reajuste da terapêutica durante o emprego de dipiridamol. Interações medicamentosas: quando do uso concomitante de anticoagulantes ou de ácido acetilsalicílico, deve-se ter em conta as precauções e advertências válidas para estes medicamentos. Dipiridamol pode potencializar o efeito hipotensor de fármacos anti-hipertensivos. Dipiridamol pode atuar contra os efeitos anticolinesterásicos dos inibidores da colinesterase. Derivados da xantina (encontrados, por exemplo, no café e no chá preto) podem atenuar os efeitos de dipiridamol e, portanto, devem ser evitados durante a administração de Persantin. - Gravidez e lactação: como ocorre com todos os fármacos, durante a gravidez e o período de lactação, Persantin somente deverá ser administrado em caso de absoluta necessidade.

- Reações adversas
reações adversas a doses terapêuticas de Persantin, em geral são leves e passageiras. Têm sido observados vômitos, diarréia, sintomas subjetivos, tais como, vertigem, náuseas, cefaléia e mialgia. Na maioria das vezes, estes efeitos desaparecem durante tratamentos em longo prazo. As propriedades vasodilatadoras de Persantin podem determinar hipotensão, sensação de falta de ar e taquicardia. Em casos excepcionais, observou-se uma piora da cardiopatia coronariana. Existem relatos de reações de hipersensibilidade, tais como, ocorrência de exantemas e urticária. Raramente ocorreu um maior grau de hemorragia durante ou após cirurgias.

- Contra-Indicações
hipersensibilidade aos componentes da fórmula.

- Indicações
todos os quadros nos quais se pode esperar um benefício terapêutico pela redução da adesividade e agregação plaquetária, como, por exemplo, na insuficiência coronariana, antes e durante cirurgias cardiovasculares e, sobretudo, como coadjuvante de anticoagulantes orais na profilaxia de tromboses decorrentes de próteses de válvulas cardíacas; em combinação com ácido acetilsalicílico na prevenção secundária do infarto do miocárdio, acidentes cerebrovasculares, enfermidades arteriais periféricas, microangiopatias trombóticas, tais como, retinopatia diabética e após terapêutica trombolítica, na cirurgia vascular e nas cirurgias de revascularização do miocárdio.

- Apresentação
embalagens com 40 e 200 drágeas de 75 mg; embalagens com 50 drágeas de 100 mg.